Conexao com pacientes - Katie Fachini

Conexão com os pacientes no mundo virtual

Confira dicas sobre a importância de divulgar informações precisas e de qualidade, por meio de site, blog ou redes sociais

Coloque-se no lugar do paciente que está em busca de um médico de determinada especialidade ou, então, tem o nome do profissional e precisa do telefone para marcar consulta. No mundo moderno, buscar no Google tem sido uma das primeiras opções. Até mesmo para comparar as avaliações do profissional feitas por outros usuários da web.

Mas, muitas vezes, a busca no mundo virtual encontra obstáculos, como a falta de informação precisa sobre o profissional e até telefones e endereços da clínica desatualizados.

Poder acessar um site com informações sobre o médico e seu currículo, a localização e telefones da clínica é o mínimo que muitos pacientes esperam. Isso facilita o acesso e gera credibilidade. Para quem pretende ir além, com a divulgação de conteúdo, encontra nos blogs e nas redes sociais uma forma de se aproximar, criar e manter a conexão com pacientes e conquistar novos.

“O boca a boca agora é digital, por isso, é fundamental estar na internet com bons conteúdos. A missão é gerar confiança. Compramos coisas de quem conhecemos e confiamos, no caso dos médicos não é diferente. O mercado cada vez mais competitivo pela crescente oferta de profissionais, o grande número de usuários de planos de saúde e a escassez de agendamentos particulares são algumas das principais dificuldades dos médicos hoje, então ele precisa se diferenciar e a internet é um dos caminhos mais rápidos”, afirma Katie Fachini, que atua na área de marketing.

Katie reforça que hoje as pessoas vão para a internet antes de consultar um médico ou agendar um exame. “Estar bem posicionado no Google pode ser a diferença para ele se destacar como um especialista de sucesso e garantir que o paciente encontre a clínica. O blog é o “coração” da estratégia de conteúdo, é reconhecido pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) como um disseminador de conteúdo científico e também uma ferramenta indispensável de marketing de conteúdo. E que paciente não gostaria de ter acesso a informações sobre saúde, endossadas por um especialista? Disponibilizar informações úteis num canal exclusivo da sua clínica fará com que os internautas encontrem um valor real em acompanhar o médico, criando uma relação de confiança e credibilidade, posicionando-o como referência na sua especialidade.”

A dica é que o profissional crie conteúdo relevante, isto é, que ajude de verdade. “Esclarecendo dúvidas, o especialista vai mostrar que entende e que o possível paciente pode confiar em seus serviços. O conteúdo traz visibilidade e cria um relacionamento antes mesmo de ele realizar a primeira consulta.” É o chamado marketing de conteúdo, que pode ser enriquecido com a divulgação de artigos, publicação de pesquisas, dicas, livros, entre outros.

“Para começar é preciso planejamento, identificação das personas, criação e distribuição de conteúdo. Quanto mais rico o conteúdo, mais visitantes. Para que tenha boa indexação deve-se atentar para algumas regrinhas de SEO (Search Engine Optimization). Periodicidade também é importante, com um conteúdo novo toda semana. Promovê-lo, quer dizer, divulgá-lo nas redes sociais é fundamental, pois de nada adianta criar um conteúdo se ninguém souber que ele está lá”, orienta Katie.

Katie alerta que é necessário ter um objetivo bem definido do que se pretende alcançar. “A internet criou um comportamento mais exigente do paciente, que está mais informado sobre sua doença, seu tratamento e mesmo da reputação e formação técnica do profissional que irá atendê-lo. Portanto, cabe a você se apresentar de forma adequada nestes canais.”

As normas do CFM

A Resolução nº 2.133∕2015 do Conselho Federal de Medicina (CFM) esclarece sobre a divulgação e publicidade de assuntos médicos na internet e em canais das redes sociais. O texto permite que os médicos publiquem nos seus perfis informações como sua especialidade, CRM, RQE, além do endereço e telefone do local onde atendem. Os médicos continuam proibidos de distribuir e publicar em sites e canais de relacionamento fotos tiradas com pacientes no momento de atendimento, como consultas ou cirurgias.

Também não podem divulgar fotos, imagens ou áudios que caracterizem sensacionalismo, autopromoção ou concorrência desleal. Neste grupo, se enquadram as fotos conhecidas como “antes” e “depois”. Segundo o CFM, a resolução pretende proteger a privacidade e o anonimato inerentes ao ato médico e estimula o profissional a fazer permanente reflexão sobre seu papel na assistência aos pacientes.
O médico também não pode usar a internet para anunciar métodos ou técnicas não consideradas válidas cientificamente e não reconhecidas pelo CFM.

Aplicativos das Unimed

Com o objetivo de facilitar aos beneficiários para que encontrem informações e contatos dos médicos cooperados, a Federação disponibiliza o acesso gratuito ao aplicativo Unimed SC. Basta baixar no seu celular. O aplicativo está disponível nas versões Android e iOS, e reúne diversas funcionalidades que tornam muito mais prática e rápida a procura por médicos, números de emergência e locais de atendimento.
Matéria publicada na originalmente na Revista Família Unimed

Guia - marketing digital para medicos

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer entrar na discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *